Profissionais do Cosplay: Kevin Leab Thong

kevin.jpg
Créditos: Kaicom

interview readNessa coluna, eu trago a vocês depoimentos daqueles que, de uma maneira ou de outra, se transformaram em “profissionais” do cosplay. Para alguns, foi uma atividade paralela, uma forma, muitas vezes, de custear os próprios trajes. Para outros, uma segunda vida fazendo aquilo que mais amam. Para outros, ainda, uma profissão à qual se dedicam noite e dia.

Kevin Leab Thong é um cosmaker que realizou o grande sonho da maioria dos nerds. Ele conseguiu ingressar na indústria de games, a ponto de se tornar community manager da CD Projekt RED na França, seu país natal.

Kevin aceitou bater um papo comigo, no qual conversamos sobre a presença de cosplayers em empresas de videogames, as fronteiras entre cosmakers e figurinistas e seu trabalho em atividades filantrópicas.

Confiram abaixo a entrevista

Qual é a sua idade e há quanto tempo trabalha com cosplay?

Tenho 26 anos desde abril e tenho trabalhado com cosplay desde o meu primeiro cosplay (2011). Eu tive a sorte de ser notado.

Você é um expert em confecção de figurinos e props. O que o motivou a se envolver com essa profissão.

Meu pai e eu sempre adoramos assistir a vídoes de making of e bastidores de filmes e clipes. Nós amamos figurinos e decorações de set. Um dia ele me perguntou se eu queria fazer um traje com ele e aqui estou.

Que tipos de trabalhos relacionados ao cosplay você já realizou? Você aceita encomendas? Quem são seus clientes?

No momento, eu tenho trabalhado essencialmente com a CD Projekt S.A. em vários eventos desde o concurso de cosplay que eles organizaram. Eu também fiz alguns eventos para a EA Games e estou atualmente trabalhando em um projeto com a Amplitude Studio.

Sobre encomendas, eu não tenho uma oficina decente ainda, então eu não consigo trabalhar com isso da forma como eu gostaria, mas no futuro próximo eu provavelmente começarei a aceitar encomendas.

Como você viu acima, meus clientes são majoritariamente companhias de games. Porém, eu ainda estou aberto a outros clientes se eles precisam de mim.

A propósito, eu não sou muito conhecido, então eu contacto diretamente os estúdios para conseguir os jobs 🙂

Você é um community manager para a CD Projekt RED na França. Como você se envolveu com o estúdio? Teve relação com os cosplays de personagens de The Witcher que você fez?

Eu consegui o emprego por meio de uma feliz sequência de eventos. O negócio é que um de meus amigos, Thibault, e eu pedimos ao Marcin Momot (o community manager principal) alguns materiais de referência para fazer um cosplay 3 anos atrás. De lá para cá, nos continuamos em contato e nos tornamos amigos na internet.

Um dia ele sugeriu o trabalho ao Thibault e a mim porque nós sempre fomos ENORMES fãs de The Witcher desde a época dos livros e muito mais depois do primeiro jogo. Portanto, meu job como cosplayer não tem relação direta com meu contrato como community manager. É algo a mais, e eles me pagam por ambos os empregos.

Na sua experiência, quão abertos são os estúdios de videogame para contratar cosplayers e outros fãs? Como o processo geralmente começa? Cosplayers e cosmakers geralmente são contratados pelas companhias se conseguem chamar a atenção ou tomam a iniciativa eles próprios?

Estúdios de games vão ver seu trabalho cedo ou tarde, mas o problema é que existem muitos fãs e muitas criações de fãs. Cosplay é apenas uma entre tantas “fanarts”.

A melhor coisa a se fazer, na minha opinião, é contatá-los diretamente e só dizer “Ei, eu faço cosplays. Eu fiz isso e aquilo. Você está interessado?” Eles são iguais à gente, entusiasmados e humanos. Eles não vão morder, então não há nada a perder tentando.

O processo sempre começa com um contrato ou mesmo com um contrato de confidencialidade, se não existir contrato. Provavelmente significa que você não será pago pelo seu trabalho…

Num editorial recente, a Hayley Williams do Kotaku disse que trabalhos remunerados de cosplay em convenções são minados por cosplayers dispostos a trabalhar de graça, assim como pela mentalidade de que cosplay deve ser feito por amor, não por dinheiro. Você concorda com esse diagnóstico? Se sim, você vê alguma solução?

Eu acho que cosplay é um bom hobby, mas quando você tem o dever de representar empresas ou marcas registradas, então você está trabalhando. Para mim, todo trabalho, não importa qual, deve ser remunerado. Eu não acho que jobs de cosplay são prejudicados por cosplayers dispostos a trabalhar de graça. Empresas pagam por qualidade (talvez nem tanto quando deveriam, mas pagam). Se eles não pagarem, então escolherão algum cosplayer que faça de graça e a qualidade refletirá isso. É uma escolha.

De qualquer forma, nós não podemos ficar irritados com as pessoas que apenas querem ser conhecidas. É problema delas.

Meu primeiro trabalho como cosplayer não foi pago. Eu queria receber, mas eles não me pagaram (brindes não são pagamento). No entanto, ele me ajudou a ser mais bem visto e a adquirir uma imagem mais séria para as empresas.

Sempre existirão pessoas que trabalharão de graça só porque são fãs, ou porque se sentem honradas de serem uma peça no maquinário. Isto nos motiva a ser mais competitivos e a aprender novas coisas para nos tornarmos mais talentosos. Eu acho que é bom pressionar as pessoas a serem melhores em seus trabalhos/hobbies, ou mesmo na vida. Então, se eles quiserem trabalhar de graça, conforme-se com isso e tente fazer melhor.

Você já trabalhou com cosplay for a da cena geek, propriamente dita (ex: em eventos corporativos, festas infantis, iniciativas filantrópicas, campanhas de publicidade)?

Alguns de meus amigos, todos cosplayers e cosmakers talentosos, estão atualmente envolvidos em um calendário cosplay para arrecadar dinheiro para caridade. Eu faço parte do projeto. Chama-se Cosplay for Life 🙂

E quanto a confecção? Você já trajes e props para outros públicos? (reenactment histórico, LARPG, etc?)

Não, mas parece muito divertido! Eu já fiz algumas armas e acessórios para meus cosplays, mas nunca para esse tipo de coisa.

Você participa de concursos de cosplay? Quão importante é o circuito de concursos na vida de um cosplayer?

Eu não sou muito ligado nisso, então só posso dizer que existem dois tipos de cosplayers entre meus amigos que gostam de participar de concursos.

Os primeiros são aqueles que participam porque gostam de competição e querem mostrar seu melhor e tentar ganhar.

Os segundos são os que só querem fazer um bom cosplay e participar para ter um bom palco para mostrar seus trajes, compartilhar seu amor ao cosplay com os outros e ter boas memórias.

Cosplays frequentemente são mencionados em discussões sobre direitos autorais. Em tese, character designs são propriedade de seus respectivos estúdios/editoras, e qualquer lucro sobre eles é vetado a terceiros. Você já teve ou testemunhou algum problema em relação a isso? Você acredita que isso possa ser um fator limitante para o crescimento da profissão?

Essa foi uma das minhas maiores questões no começo, mas eu nunca tive nenhum problema por causa disso. Eu também não acho que isto limitará pessoas a fazerem o que elas querem. Quando você faz props só para você e não ganha nada com isso, você nunca terá problemas.

Cosmakers que vendem seus trabalhos provavelmente são mais afetados por copyright. Eu realmente não sei, desculpa.

Como você vêe o futuro profissional do cosplay? Você acreditam que o mercado esteja crescendo ou diminuindo?

Eu não estou preocupado sobre o seu futuro. Eu quero trabalhar como um figurinista profissional no cinema/teatro ou na indústria de games. Se o cosplay puder me ajudar, então eu continuarei, aprenderei novas coisas e me tornarei mais competente para alcançar esse objetivo.

Eu acho que a diferença entre “cosplayer” e figurinista é bem sutil. O cosplayer faz o role play ou a parte de “modelo” que o figurinista não faz.

Cosplay profissional tem mais a ver com a carreira de modelo e em usar sua imagem para promover coisas, embora também envolva todo o processo de confecção.

Então, na minha opinião, o mercado continuará a crescer lentamente como qualquer outro emprego, e a indústria de games o está incentivando a isso muito bem.

A maioria dos cosplayers usa pseudônimos. Você pode me falar um pouco sobre este hábito? Você sabe qual é a origem da prática?

Haha! Eu não sei porque as pessoas usam apelidos ou de onde surgiu o hábito. Provavelmente foi para proteger sua identidade quando você só quer compartilhar sua paixão na internet.

Você utiliza (ou já utilizou) algum pseudônimo?

O meu é apenas meu nick em videogames… Eu só o criei para ser reconhecido atrás da tela.

Se você tivesse de dar uma dica para alguém que deseja começar a trabalhar com cosplay, qual ela seria?

Apenas tente. A parte mais difícil é se motivar a começar. Quando você tiver feito isso, você verá que não é tão difícil.

E você? Trabalha ou trabalhou com cosplay e tem uma história interessante para contar? Entre em contato com a página

Kevin Leab Thong is a cosplayer and costume maker that accomplished one of geeks’ most coveted dreams. He landed jobs with the gaming industry, and even became a community manager for CD Projekt RED in his home country of France.

Kevin took the time to have a little chat with me. In it, we talked about the involvement of cosplayers with game companies, the threshold between cosplayers and costume makers and his cosplay related work in charity.

You can read the full interview below:

How old are you and how long have you been working with cosplay?

I am 26 since April and I have worked with cosplay since my very first cosplay (2011). I was lucky enough to be noticed.

Youre an expert in costume and propmaking. What prompted you to get involved with this métier?

My father and I have always loved to watch making ofs and behind the scenes from movies and clips. We love costumes and decorations on set. One day he asked me if I wanted to make a costume with him and here I am.

What sort of cosplay related jobs have you performed? Do you accept commissions? Who are your clients?

For the moment, I have essentially worked with CD Projekt S.A. on many events since the cosplay contest which they organized. I also did some events for EA Games and I am currently working on a project with Amplitude Studio.

About commissions, I do not have a decent workshop yet so I cannot work on it as I would like to but in a near future I will probably accept commissions. As you read before, my clients are mainly video game companies. I am still opened to other clients if they need something from me. I am not very well known by the way so I contact directly by myself the studios to get some jobs. 🙂

Youre a community manager for CD Projekt RED in France. How did you end up involved with the studio? Was it related to your work cosplaying The Witcher characters?

I have got the job through a fortunate chain of circumstances. The thing is that one of my friends Thibault and I asked to Marcin Momot the main Community Manager some samples to make a costume 3 years ago and since we stayed in touch and became friends over internet. One day he proposed the job to Thibault and I because we have been HUGE fans of The Witcher since the books and more after the first game. So my cosplay work is not related to my community manager’s contract. It is something plus, and they paid me for both jobs.

In your experience, how open are videogame studios to hiring cosplayers and other fans? How does the process usually begins? Are cosplayers and crafters contacted by the companies if they make an impression, or is it the other way around?

Video games studios will see your work someday for sure, but the problem is that there are so many fans and so many fan creations, and cosplay is just a part of those “fanarts”. The best thing to do, in my opinion is to contact them directly by yourself and just say “Hey, I make costumes. I did that and this. Are you interested?”. They are just like us, passionate and human. They will not bite, so there is nothing to lose by trying.

The process begins always with a contract or even NDA (nondisclosure agreement) if there is no contract. It probably means that you will not be paid for your work…

In a recent op-ed, Kotakus Hayley Williams argued that paid cosplay jobs at conventions are hampered by cosplayers willing to work for free, as well as by the mentality that one should cosplay out of love, not profit. Do you agree with her point? If so, do you see any solutions?

I think cosplay is a good hobby, but when you are charged with representing companies or trademarks, then you are working. To me, each work, no matter what, should be paid. I do not think that the cosplay jobs are hampered by cosplayers willing to work for free. Companies will pay for great quality (maybe sometimes not as much as they should be but they will pay) if they do not then they will pick free cosplayer and the quality which goes with it. It is their choice.

By the way, we cannot be mad at people who just want to be known. It is their problem.

My first job as a cosplayer was not paid, I wanted to but they did not pay me (goodies is not a kind of payment) but it helped me to be better considerated and get a more serious image for companies. There will be always people who will work for free just because they are fans or feel honored to be a little part of the gear. It pushes us to be more competitive and learn more skills to be more talented. I think it is a good thing to push people to be better in their jobs/hobbies even life whatever. So, if they want to work for free then let them, just deal with it and try to be/do better.

Have you ever worked with cosplay outside the geek scene properly speaking (eg.: in corporate events, childrens parties, philantropic initiatives, marketing stunts)?

I have some friends also talented cosplayers and props makers who are currently working on a cosplay calendar to make money for charity. I am a little part of it. It is called Cosplay For Life  🙂

What about costume and propmaking? Have you ever crafted items for other audiences (historical reenactors, LARPers, etc)?

Not at all but it could be fun and entertaining! I have made some weapons and accessories for my costumes but never for things like this.

Do you participate in cosplay contests? How big a part of a cosplayers life are the hobbys contest cycles?

I am not into it, so I can just say that there are two types among my friends who like to do contests.

First the one who participate because she/he likes competition and want to be at her/his best and try to win it.

Secondly the one who just want to make a good costume and participate just to have a good stage to show their costume and share her/his love of cosplay to people and get good memories.

Cosplay is often mentioned in discussions about copyright law. In principle, character and costume designs belong to their respective IP holders, and any sort of for profit activity involving them is forbidden. Have you ever had or have you ever witnessed any issues concerning copyright? Do you believe this is might be a limiting factor to the growth of cosplay as a profession?

It was one of my big question at the begining but I never get any issues because of that. I do not think that it will limit people to make what they want either.

When you make props just for yourself and you do not gain any benefits from it, then you will never have any problems.

Props makers who sell their work are probably more touched by copyrights, I don’t really know sorry.

How do you see the future of professional cosplay? Do you believe the field is shrinking or expanding?

I am not worried about its future. I want to work as a professional costume maker in cinema/theater or in the video game industry. If cosplay can help me, then I will continue and learn new things and be more competent to reach that goal. I think the links between “cosplayer” and costume maker are really thin. The cosplayer does the “role playing” or modeling part that the costume maker do not. Professional cosplay is more like modeling and promote stuff with your image but it still has the whole process of costume making. So, in my opinion it will just continue to slowly grow up like any other new jobs and the video game industry is pushing it very well.

Most cosplayers use aliases. Can you talk a little bit about this practice? Do you know where it came from?

Haha! I do not know why people are using nicknames and where it came from but at the begining it probably to protect your identity when you just want to share your passion on internet.

Do you have an alias? How did you choose it?

Mine (Tanner) is just my nickname in video games… I have made it just to be recognized behind my screen.

If you were to give one tip for someone who wants to start working with cosplay, what would it be?

Just have a try. The hardest part is to push yourself to start and when it will be done you will understand that it was not that hard.

Anúncios

Publicado por

Vinicius Marino

Nerd, historiador, fã de Satoshi Kon e Mass Effect

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s