“O Silêncio”: a crueldade japonesa entre a história e a ficção

silence header.png

Fãs de Martin Scorsese sabem que 2016 é um ano para não esquecer. Silence, seu projeto pessoal em desenvolvimento desde 1991, cujo storyboard inspirou o cartaz da 39a Mostra de Cinema de São Paulo,  finalmente dará as caras ao grande público.

Entusiastas de cultura japonesa têm motivo redobrado para acompanhar o lançamento. Trata-se da adaptação de um dos maiores clássicos da literatura nipônica contemporânea.

Continuar lendo “O Silêncio”: a crueldade japonesa entre a história e a ficção

3 jogos para entender a Primeira Guerra Mundial (antes de ‘Battlefield 1’)

battlefield 1.jpg

No mundo dos games existem alguns mandamentos não-escritos. Até pouco tempo atrás, “Não ambientarás teu jogo na Primeira Guerra Mundial” estava no topo da lista.

De fato, se a Segunda Guerra Mundial é um dos períodos históricos mais abordados de todo o meio, a Primeira sempre mereceu notas de rodapé. Ou, no melhor das hipóteses, uma menção indireta em algum título grand strategy.

Continuar lendo 3 jogos para entender a Primeira Guerra Mundial (antes de ‘Battlefield 1’)

“The Gods Lie.”: Os adultos ausentes dos mangás (e por que funcionam tão bem)

the gods lie header.jpg

Dia das mães. Não há ocasião melhor para relembrar os percalços e emoções de nossa vida familiar – ou das de nossas personagens favoritas.

Claro, os dramas que gostamos de ler ou assistir costumam ser bem diferentes dos que desejamos para nós mesmos. Como disse Tolstói, todas as famílias felizes são iguais, mas cada família infeliz é infeliz à sua própria maneira. E nada faz uma história mais interessante do que a variedade.

Continuar lendo “The Gods Lie.”: Os adultos ausentes dos mangás (e por que funcionam tão bem)

Entrevista: escrevendo as quests de ‘Witcher 3’

geralt_of_rivia-sword-the_witcher_3_wild_hunt-video-game-picture-1920x1200.jpg

Não há dúvidas de que The Witcher 3: The Wild Hunt é um dos jogos mais impressionantes de memória recente. O blockbuster da CD Projekt RED, baseado em um dos maiores sucessos da fantasia europeia, conseguiu a façanha de combinar um open world imersivo, gráficos de ponta, ação e um dos melhores enredos da história dos games.

Continuar lendo Entrevista: escrevendo as quests de ‘Witcher 3’

Por que é tão difícil retratar vilões em games (e o que fazer para facilitar)

tyranny.jpg

Moralidade.

Aqueles que acompanham a cena de games já devem estar acostumados a ver essa palavra em descrições de jogos. De fato, da mesma forma como Skyrim fez com que open worlds se tornassem o novo dogma, games moderninhos dos anos 2000 se ancoraram em “dilemas morais” e liberdade de escolha.

Continuar lendo Por que é tão difícil retratar vilões em games (e o que fazer para facilitar)

A blogosfera em destaque #1

A blogosfera em destaque 1 Abril 2016.png

É com muito prazer que anuncio o primeiro balanço mensal da Blogosfera Otaku BR. Para os que perderam minha introdução, trata-se de uma aliança bottom-up de produtores de conteúdo sobre o universo otaku, destinada a facilitar o intercâmbio de ideias.

Confiram abaixo os destaques do mês de Abril (e arredores):

Continuar lendo A blogosfera em destaque #1